} Avançar para o conteúdo principal

Apresentados

episódio 2 - no corredor

Atravessou o corredor a medo. Era isso ou acordar novamente a irmã. O corredor era tão escuro que lhe parecia impossível a uma criança. As tábuas faziam-se notar a cada passo e ela preferia atravessá-lo em pressa do que se demorar por ali. Deviam ser uns 4 metros que lhe pareciam 12. Respirava fundo e ia de olhos fechados como se isso a protegesse do medo. O medo era de nada. Só do escuro, do desconhecido, do caminho, de não saber o que estava do outro lado.  Mesmo já tendo passado ali com a luz do sol. Quando chegava era bom e era mau porque era obrigatório voltar. Já sabia que nada se passava e que era só um caminho e mesmo assim voava para chegar o mais depressa possível. No dia a seguir era igual. Todos os dias.O mesmo corredor escuro. Todos os dias a luz da manhã a fazer esquecer a noite. As manhãs serviam para lhe descansar a alma e se rir de si mesma. Tinha a certeza que à noite não haveria medos porque estava tudo ali, tudo o que era para existir, tudo o que fazia realmente par

Querer e não poder.

Tenho um historial chato de problemas de pele. Esta é a verdade. Tive um melanoma de grau II em 2009 aniquilado com duas cirurgias. A melhor verdade é que estou absolutamente controlada. Tenho consultas de seis em seis meses e faço uma vez por ano um exame - dermatoscopia digital, um exame que amplia os sinais, vê a sua evolução no tempo e permite controlar melhor a olho nu o  que o dermatologista nem sempre vê (apesar do meu dermatologista ter olhos de lince e ser um génio da área).
Foi num desses exames que descobriram que dois são de risco (e meia dúzia - juro que usaram esta expressão ficaram sob controlo) por isso necessário remoção e biopsia.
Isso tudo já está feito, agora é esperar o resultado e tirar pontos daqui a 15 dias.
Gosto de pensar que o mais chato de tudo é não estar livre para os treinos tal e qual como eles  são e quebrar o ritmo.  Não posso esticar a pele porque corro o risco de 1. rebentar os pontos e 2. ter dores.
Por isso a conselho da SportsLab - e eu só pude concordar embora me tivesse apetecido mentir e dizer que estou óptima e sem dores - saltamos o treino de terça e depois logo se vê. 
O meu conselho a todas as pessoas com peles claras ou escuras é que procurem um médico.  Não custa nada (só o valor da consulta caso seja numa clínica ou hospital privados) mas se estiver tudo bem ficamos descansados, se não, temos tempo para fazer o que for preciso.
E o tempo,  nestes casos, é mesmo o nosso melhor amigo.
Até lá espero, positiva de que tudo vai estar bem e ansiosa por poder voltar aos treinos!

Comentários