} Avançar para o conteúdo principal

Apresentados

Episódio 1 - O espelho

Tinha à volta de 40 anos quando se começou a aperceber da vida. Ao mesmo tempo que parecia cedo, também lhe parecia tarde.Até lá, corria tudo com mais ou menos problemas, mais ou menos histórias para contar. Todas essas pequenas histórias se juntaram naquele dia para lhe mostrar a pessoa em que se tornou. Não era mal nem bem. Era aquilo.Cada bocadinho de história ia dar ali. A um corpo. Custava estar de frente para si mesma e pousar em cada assunto de si. Tinha de ser. Era hora. Aquele momento parecia-lhe uma corrida de carros, cada instante a passar mesmo ali à sua frente.O nascimento, a sua infância, a morte dos avós, separações, mudanças, casamento, filhos, trabalho… Um atrás do outro a juntar-se em monte numa só pessoa.Parecia-lhe muito. Não demais, mas muito.Percebeu também que cada memória tinha um peso e era perfeitamente capaz de as dividir. As leves acabavam por ser as que ocupavam um espaço mais importante, as gargalhadas, os passeios na praia, as coisas que não se compartim…

Afinal o grande teste da minha vida não são os filhos

Afinal o grande teste da minha vida não são os filhos.
É o trânsito.
Tenho o dia todo contado ao segundo para que as coisas fluam bem e a família esteja na generalidade bem disposta.
Gastar um bocadinho de energias a arejar
Google a comer um pau
Vou com ele levar a mais velha e a ir e vir demoro uma hora. Fazemos este percurso 4 vezes ao dia, duas horas no carro.

É cansativo mas já faz parte do nosso dia-a-dia e há de certeza quem passe o triplo do tempo no carro e no trânsito.

Vamos geralmente a cantar e alterno a música dela com uma rúbrica sagrada da Rádio Comercial e toda a gente vai feliz.
Ele vai em gestão de humor. Não adora o tempo todo que passa no carro e percebo-o perfeitamente.

À vinda já chega com sono, passeamos o cão e deito-o.

À terça feira é o único dia em que posso fazer o treino na rua porque tenho ajuda em casa mas hoje e nos próximos 4 meses as coisas vão mudar por causa de uma rua fechada, a Infante Santo (e outras) - ponto de passagem obrigatório para chegarmos.

Fui pelas alternativas que me sugeriram e demorei 1h20 a chegar ao destino e fazer 9km. Mais o tempo normal de voltar. A respirar fundo, e basicamente a fingir que não estava enraivecida com o universo inteiro que se uniu pra me tramar.

Resultado: treino cancelado, filho em birra, cão aflito, eu frustrada.
Por isso hoje não há treino - que passa para amanhã. 5ª feira seria avaliação - a terceira - que possivelmente passará para sexta.

Comentários