} Avançar para o conteúdo principal

Apresentados

Episódio 1 - O espelho

Tinha à volta de 40 anos quando se começou a aperceber da vida. Ao mesmo tempo que parecia cedo, também lhe parecia tarde.Até lá, corria tudo com mais ou menos problemas, mais ou menos histórias para contar. Todas essas pequenas histórias se juntaram naquele dia para lhe mostrar a pessoa em que se tornou. Não era mal nem bem. Era aquilo.Cada bocadinho de história ia dar ali. A um corpo. Custava estar de frente para si mesma e pousar em cada assunto de si. Tinha de ser. Era hora. Aquele momento parecia-lhe uma corrida de carros, cada instante a passar mesmo ali à sua frente.O nascimento, a sua infância, a morte dos avós, separações, mudanças, casamento, filhos, trabalho… Um atrás do outro a juntar-se em monte numa só pessoa.Parecia-lhe muito. Não demais, mas muito.Percebeu também que cada memória tinha um peso e era perfeitamente capaz de as dividir. As leves acabavam por ser as que ocupavam um espaço mais importante, as gargalhadas, os passeios na praia, as coisas que não se compartim…

Um minuto é uma eternidade.

Exausta. Feliz. Mais perto.

Quando vejo os vídeos sinto-me sempre meio desengonçada e lenta mas quando estou no chão a fazer os exercícios sinto que estou a dar o tudo por tudo. E estou.

É sempre estranho vermo-nos a fazer alguma coisa a que o nosso corpo não está habituado. Há algum constrangimento e até vergonha. Mas o importante é manter o espírito e pensar que se não passar por esta fase inicial nunca vou evoluir.

Não nasci desportista nem fiz muito desporto em miúda, só ginásio quando andava na universidade -  máquinas e aulas, alguma natação mas nada muito prolongado no tempo.
Joguei ténis em miúda mas o meu pai dizia que eu ligava mais aos kits, saias e ténis do que propriamente ao desporto.

Depois nunca mais fiz nada até nascer a minha filha. Fui novamente para o ginásio mas durou pouco porque não conseguia arranjar tempo. Quando engravidei do meu filho estava a correr duas vezes por semana há um mês e parei.

Há coisas que claramente não faço na perfeição mas com o tempo lá chegarei. E os vídeos são bons para isso.

Cada vez tenho mais noção do corpo, do uso da força, das coisas que faço mal. Por exemplo nas pranchas o meu corpo descai sempre para a esquerda, nos agachamentos não desço tanto como deveria e tenho medo de me pôr o corpo mais para trás e cair, os braços nem sempre estão à altura dos ombros como deveriam. Mas estas noções aprendem-se e já começo a ter mais atenção a tudo isto. Sou trapalhona e tentar fazer tudo, gerir a resistência, a concentração e o esforço não é pêra doce.

Hoje fique esgotada, aliás como na terça feira mas à 5ª é sempre pior e os treinos da SportsLab estão a começar a doer!

Os treinos funcionam em sequências de 40 segundos (que parecem duas horas) de exercício e 20 de descanso.
20 segundos é quase igual a nada. Ainda estou a acabar de morrer no chão e o tempo já está a contar.

Adoro esta t-shirt aberta atrás.
É Puma da loja In'OutSports
Depois quando acaba a primeira série tenho 2 minutos de descanso em que ouço e tento apanhar o máximo de informação para a segunda série, recuperar forças , beber água e encontrar salvação interior para não desistir. Estes dois minutos são uma dádiva divina e sabem a meia hora!

A segunda série é igual à primeira com uma dificuldade qualquer acrescida. Na minha ideia, antes de começar a fazer exercício diria que a segunda ronda seria mais calminha porque já estamos cansados, mas não, é pior e a doer. No final há sempre alongamentos que são, claro está, fundamentais.

Estou a gostar cada vez mais de ter esta rotina na minha vida. Está a fazer-me bem a todos os níveis. Energia, felicidade, auto-estima. E está a criar em mim aquilo que é o meu primeiro objectivo. Gostar e querer que o exercício seja uma rotina na minha vida.



Comentários