As férias são para os filhos

Fomos no fim de semana que passou e dias entre feriado, para o Alentejo. Casa de uns (queridos) amigos. 
O grupo de adultos era pequeno mas os filhos já são aos dois e aos três e facilmente enchem a casa.

Antes, um fim de semana destes significaria dias inteiros ao sol, almoçaradas, a noite toda à conversa, copos e no dia a seguir acordar ao meio dia.

Com filhos o ritmo é outro. Às 8 com sorte  está tudo a pé.  Entre pequenos almoços,  enche-los de creme, garantir chapéus, piscina, seca na toalha,  põe bóias,  tira bóias,  ensina a nadar, garante cabelo molhado, chapéu,  controla as horas, o chichi, o cocó,  as fraldas,  as birras, os pirulitos, as brincadeiras,  o almoço,  a sesta de um, o filme do outro para entreter enquanto se almoça,  os mini conflitos, os passeios, o lanche, a piscina outra vez, os banhos, o jantar,  o deitar; o tempo para estar de papo para o ar, descontrair e lembrarmo-nos de que existe todo um universo adulto, é praticamente nulo.

Depois, com eles deitados, o silêncio é de ouro.  Pode-se finalmente jantar sem uma mão minúscula no prato,  com a roupa limpinha, beber uns copos e falar sobre tudo aquilo que nos apetecer.

No dia a seguir eles acordam absolutamente rejuvenescidos e prontos para tudo!
Estar em férias,  mesmo que sejam poucos dias, com filhos, é cansativo mas absolutamente recompensador. A felicidade deles é comovente,  viviam assim para sempre,  e nós,  na realidade também. 

Entre outras coisas demos grandes passeios,  vimos os cavalos e os burros,  demos de comer (todos os nossos desperdício) às galinhas,  perus e patos,  apanhámos limões, comemos muito e demais e apanhámos sol. 


Encaro isto como uma fase, que na realidade me faz muito feliz. 
Mesmo que fique nostálgica dos tempos em só tinha que pensar em mim e no biquini que ia escolher, aproveito os meus filhos e esta idade que passa depressa. 

Adoro vê-los no seu estado puro. Sem pressas, sem nós a apressa-los, sem escola, e com tempo para tudo. 
Adoro vê-los criar amizades com os filhos dos nossos amigos, as miúdas de mão dada a cantarolar, eles a disputar bolas e carros e os bebés a serem bebés e a andarem de colo em colo. 

É muito bom ser casada e sem filhos, solteira, não ter preocupações nem chatices, nem horas nem tempo. Mas é igualmente boa esta fase em que os amigos e os filhos dos amigos se juntam, ainda bebem o seu copo juntos mas só aguentam até à meia noite (e pouco, vá). É boa esta fase em que conhecemos os nossos amigos de outra maneira e continuamos na mesma onda, às vezes queixam-nos e temos saudades dos velhos tempos, nas outras, felizes por termos esta sorte de os vermos crescer com saúde e alegria. 

Estavam mais de 30 graus
e nada melhor que uma mangueirada!
Um bocadinho à pressa e a aproveitar um dos passeios ao final da tarde dos miúdos,  ainda deu para fazer um treino (queria ter feito dois mas já não foi mau). A SportsLab criou um treino a que tenho acesso online e que posso fazer onde e quando quiser e onde poderei mais tarde ver a minha evolução. 
Esta semana, não escrevi o meu post habitual de quarta feira porque não tinha acesso à internet e aproveitei isso para gozar estas mini férias como deve ser. 

Comments