} Avançar para o conteúdo principal

Apresentados

episódio 2 - no corredor

Atravessou o corredor a medo. Era isso ou acordar novamente a irmã. O corredor era tão escuro que lhe parecia impossível a uma criança. As tábuas faziam-se notar a cada passo e ela preferia atravessá-lo em pressa do que se demorar por ali. Deviam ser uns 4 metros que lhe pareciam 12. Respirava fundo e ia de olhos fechados como se isso a protegesse do medo. O medo era de nada. Só do escuro, do desconhecido, do caminho, de não saber o que estava do outro lado.  Mesmo já tendo passado ali com a luz do sol. Quando chegava era bom e era mau porque era obrigatório voltar. Já sabia que nada se passava e que era só um caminho e mesmo assim voava para chegar o mais depressa possível. No dia a seguir era igual. Todos os dias.O mesmo corredor escuro. Todos os dias a luz da manhã a fazer esquecer a noite. As manhãs serviam para lhe descansar a alma e se rir de si mesma. Tinha a certeza que à noite não haveria medos porque estava tudo ali, tudo o que era para existir, tudo o que fazia realmente par

Estava a ver que não

Há qualquer coisa de viciante no desporto.
Qualquer coisa que faz com que se torne absolutamente necessário no dia-a-dia e na rotina.
A minha já não é a mesma coisa se não tiver estes dois treinos por semana, se não puder correr, se não puder cansar-me sem ser atrás dos meus queridos filhos.
É um tempo que se tornou fundamental na minha sanidade e no meu bem estar geral.
Mais ainda porque o faço com os melhores do mundo que durante este tempo que é meu, estão dedicados a mim, aos meus objectivos e querem apenas uma coisa: que me supere,  em cada semana.
Hoje morri, claro está. Mas não foi por estar uma semana parada que fui poupada, antes pelo contrário. Tive um treino bem puxado no TRX e outros miminhos do costume.
Soube mesmo bem e sei que a minha semana já começou mil vezes melhor!

Comentários

Publicar um comentário