} Avançar para o conteúdo principal

Apresentados

Episódio 1 - O espelho

Tinha à volta de 40 anos quando se começou a aperceber da vida. Ao mesmo tempo que parecia cedo, também lhe parecia tarde.Até lá, corria tudo com mais ou menos problemas, mais ou menos histórias para contar. Todas essas pequenas histórias se juntaram naquele dia para lhe mostrar a pessoa em que se tornou. Não era mal nem bem. Era aquilo.Cada bocadinho de história ia dar ali. A um corpo. Custava estar de frente para si mesma e pousar em cada assunto de si. Tinha de ser. Era hora. Aquele momento parecia-lhe uma corrida de carros, cada instante a passar mesmo ali à sua frente.O nascimento, a sua infância, a morte dos avós, separações, mudanças, casamento, filhos, trabalho… Um atrás do outro a juntar-se em monte numa só pessoa.Parecia-lhe muito. Não demais, mas muito.Percebeu também que cada memória tinha um peso e era perfeitamente capaz de as dividir. As leves acabavam por ser as que ocupavam um espaço mais importante, as gargalhadas, os passeios na praia, as coisas que não se compartim…

Afastar as coisas para as vermos melhor.

Acho que na vida é tudo uma questão de perspectiva.
Quando vivemos na correria dos dias é difícil parar para pensar no que realmente importa. No que a vida nos dá e no que damos aos outros. Ou às vezes, pensamos demais.
Evito parar para pensar porque a verdade é que às vezes magoa, mas é tão importante. Importante ver como nos andamos a comportar connosco e com os outros.
Muito facilmente,  nos deixamos levar pela nossa casa, pelo nosso "jeito", pelos nossos dias e o mundo deixa de existir. E o mundo nunca deixará de existir nem nós para o mundo.
Sempre quis ter filhos e sinto que é aquilo para que tenho "mais jeito" na falta de uma flagrante vocação, e por essa razão,  é a eles que mais e melhor me dedico.
Com dois filhos, despesas sem fim, logística, é fácil pensar que dois é muito,  três é muito difícil e mais do que isso, a perfeita loucura. 
Talvez seja.
Até que abrimos as portas ao mundo e nos deparamos com esta mãe.
Tem 22 anos,  leram bem. Tem 6 filhos. Leram bem outra vez. Com 3, 2 e 1 e trigémeos recém nascidos.
Os bebés (como se não fossem todos) nasceram às 28 semanas e 3 dias e seriam o "último filho do casal". Afinal, foram o 4o, 5o e 6o....
E neste momento têm 6 filhos com menos de 4 anos.
Depois, olhamos para a calmaria da nossa casa, da minha casa, com dois filhos que têm mais de dois anos entre eles e se portam de forma normal, umas asneirinhas aqui e ali, um carro, duas cadeirinhas, um quarto, duas camas, uma hora de deitar única, um banho, refeições à mesma hora e uma logística absolutamente básica que em tempos me pareceu caótica e dá vontade de rir.
É bom abrir os olhos para isto e para tudo o resto. Pensar nas coisas em perspectiva,  melhorar,  tentar melhorar e olhar mais vezes para fora. A nossa casa está lá e não sai de lá.
Instagram da Chloe and Beans aqui.

Comentários

  1. Meu Deus!! De facto, dois é peanuts!!! E os pequeninos nasceram super prematuros. Como é que se faz com 6 bebés??

    ResponderEliminar

Publicar um comentário