} Avançar para o conteúdo principal

Apresentados

episódio 2 - no corredor

Atravessou o corredor a medo. Era isso ou acordar novamente a irmã. O corredor era tão escuro que lhe parecia impossível a uma criança. As tábuas faziam-se notar a cada passo e ela preferia atravessá-lo em pressa do que se demorar por ali. Deviam ser uns 4 metros que lhe pareciam 12. Respirava fundo e ia de olhos fechados como se isso a protegesse do medo. O medo era de nada. Só do escuro, do desconhecido, do caminho, de não saber o que estava do outro lado.  Mesmo já tendo passado ali com a luz do sol. Quando chegava era bom e era mau porque era obrigatório voltar. Já sabia que nada se passava e que era só um caminho e mesmo assim voava para chegar o mais depressa possível. No dia a seguir era igual. Todos os dias.O mesmo corredor escuro. Todos os dias a luz da manhã a fazer esquecer a noite. As manhãs serviam para lhe descansar a alma e se rir de si mesma. Tinha a certeza que à noite não haveria medos porque estava tudo ali, tudo o que era para existir, tudo o que fazia realmente par

Acontece quando o rei faz anos mas o mundo fica virado do avesso.
E a cozinha nem se fala.

(felizmente não estou sozinha e há alguém que segura o barco)

Comentários

  1. Aqui quando a filha fica doente, vão todos de seguida.
    O bom da mãe ficar doente (se é que pode haver algo bom nisso) é que volta a caber nas calças dos vinte anos: http://www.vinilepurpurina.com/2015/09/28/receita-infalivel-para-emagrecer-em-duas-semanas/

    ResponderEliminar

Publicar um comentário