2/10/2016

A meio. 21 semanas e 2 dias.

De meio tempo, a meio gás, meio cansada, meio enérgica, meio cá, meio lá.
Estamos a meio. Aliás, já passámos um bocadinho mas a semana passada foi impossível registar este marco.
Acabei o livro que está do lado da minha querida editora. Resolveram-se todas as doenças que por cá andavam, tirando a minha voz que me falhou durante quase 1 mês e uma queda mais aparatosa que outra coisa que me esfolou o joelho como antigamente e depois, a vida voltou ao normal!
A Luísa continua a crescer - está com cerca de 27 centímetros da cabeça aos calcanhares e o tamanho de uma  courgette - e a mexer-se cada vez mais, principalmente à noite, quando finalmente descanso. Até há bem pouco tempo durante o dia estava muito sossegadinha e agora começa a estar muito mais activa e cheia de energia. Reage às coisas que como - doces principalmente - e a forma como ela se mexe deixa de ser esporádica e pequenos pontapés para se sentir mesmo os seus movimentos.
É uma fase óptima, principalmente agora que tenho consciência tranquila com os meus projectos a avançar, filhos saudáveis e a rotina restabelecida.
Estou obvimente cansada ao final do dia, nem sempre durmo bem e se antes nada me acordava agora abro o olho ao mínimo som e demoro muito tempo a adormecer, o que é um absoluto desespero.
Comprei a primeira peça de roupa para ela, estas calças da Zara e também duas fraldas lindas da Lovely. Devagar se vai ao longe.
Em casa também já se começam a fazer alguns ajustes, principalmente agora que tenho tempo até ao lançamento do livro. Arrumar roupas, dar o que já não se vai usar, guardar roupa e sapatos da Leonor que vão servir à Luísa e acima de tudo, deitar fora as coisas que estão simplesmente a ocupar espaço que tanto vamos precisar.
Começo a pensar cada vez mais no parto, se vai correr bem, se vai ser como os outros, se vai estar tudo orientado, em que dia de semana irá calhar, com quem ficam os miúdos ou se vem alguém de família para cá para não lhes abalar muito o mundo. Enfim, quando se pára para pensar, pensa-se demais. A verdade é que olho para os meus filhos e os acho pequeninos. O Zé Maria ainda não tem dois anos e não faz ideia do que se passa, e a Leonor, apesar de estar muito contente e interessada precisa tanto de atenção e mimo.
Sei que de uma maneira ou de outra tudo vai correr bem mas à medida que a barriga cresce há uma check list mental que está sempre aqui à espreita. E ainda bem, faz-me bem pensar no futuro.
Durante este tempo fiz uma ecocardiografia fetal - que serve despistar algumas más formações - e a consulta de rotina.
Ela está óptima e eu também tirando o aumento de peso que está sem controlo. Não sei bem o que se passa mas já aumentei muito mais do que devia e isso deixa-me obviamente triste. Do Zé Maria não engordei muito,  da Leonor sim e foi muito difícil recuperar para além de que não me senti propriamente bem comigo mesma e não me apetecia nada repetir o sentimento.
A responsabilidade é só minha e ag
ora tenho que fazer um esforço muito muito grande para não ganhar mais peso sem justificação e ao mesmo tempo garantir que se mantém saudável e a crescer bem.
Com a vida mais estabilizada també espero voltar aos treinos com mais consistência e manter o estilo de vida saudável com que estava há uns meses atrás.
Tudo, sem stress, sem obsessões e com muita alegria!

3 comments:

  1. Eu com 25 semanas e mais 9kg em cima... Enfim.. Da outra não foi assim, mas tem-me custado fechar a boca!

    ReplyDelete
  2. Tenho 20 semanas e mais 7kg... Tenho andado a comer como uma doida...

    ReplyDelete
  3. Do you need to work outside for that are you being unable to prepare yourself for CIMA? Then don’t get obsessed anymore. I know a perfect solution for you. You can practice CIMA 2015 syllabus, have exam experiences like real ones, find absolute solution with structured study plan with practice tests academy

    ReplyDelete