9/21/2016

Já devia saber. ...

Já devia saber.
As noites mal dormidas. As dores nas costas. As hormonas. As olheiras. O cansaço... Já devia saber que isto tudo se torna nada quando um filho nasce.
Já não tinha dúvidas do amor. O Zé Maria ensinou-me bem. O segundo filho tem espaço que sobra e o terceiro também. Tinha poucas dúvidas que ia amar a Luísa sem tamanho. Só  não sabia que tipo de amor seria.
E é um amor igual ao que tenho com os outros dois. É um amor nosso.
Tenho um amor nosso com a Luísa como tenho com a Leonor e com o Zé.
Apesar dos seus 3 meses ela é minha filha desde sempre e o seu destino era aqui. E temos já uma grande ligação,  cumplicidade e apego. Tanto apego.
Ela anda colada a mim,  fixada em mim. Sou o seu grande amor e vou agarrar-me a isso até que - como os outros - passe a idolatrar o pai.
(mundo injusto)
Só ouve a minha voz,  arranco-lhe os maiores sorrisos - e gargalhadas - e basta um minuto ao meu colo para se acalmar.
Conheço todos os seus sons e gostos.
Como gosta do ó ó colado à cara,  de dormir no pano,  de ir no carro e agarrar-me a mão,  como não gosta de andar de carro mas ressona quando adormece,  a cara que faz no banho,  o som antes de comer, que as pernas para cima e para baixo são gases e um som específico um arroto. Que já empurra sozinha a chucha quando está a cair. Que se ri muito com a Leonor mas fecha os olhos com o Zé Maria e que os adora aos dois. Que vive com as mãos na boca e se ri com os ombros e a cara toda. Que já tem um sinal na perna e uma mancha no nariz que é um sinal de nascença e que umas vezes não se nota e noutras se nota muito.
Que se ri depois do espirro. Que adormece com chucha mas a larga logo depois e durante a noite não a usa.
São 3 meses de Luísa e de mãe de 3 filhos.  E às vezes ainda não é muito real. Já não é tão difícil mas muitas vezes ainda é confuso.  O tempo no carro,  as idas à escola,  os programas a seguir,  os banhos - o Zé Maria ainda não se despe sozinho,  os jantares,  a ida para a cama. E depois,  as exigências da Luísa que não é um bebé nada exigente. Mas tem é merece ter as exigências de um bebé.
Às vezes tomam banhos mais rápidos ou mais demorados conforme me dá jeito. E eu faço o jantar no entretanto. Às vezes não comem sopa e a fruta é levada para a sala. Esperam todos mais vezes por mim, os mais velhos fazem mais coisas sozinhos mas procuro ir compensando. E é uma gestão cada vez mais fácil como já devia saber que seria.
Não sei quanto pesa a Luísa - cerca de 6 quilos.  Vai ser baptizada em Outubro e se Deus quiser caberá no vestido de família. Não sei de quanto em quanto tempo come porque não tem horas certas mas tem horários cada vez mais repetidos, nunca adormece o primeiro sono da noite na sua cama mas é lá que dorme o resto da noite sem problemas.
É um bebé muito feliz e fácil e por quem estou/estamos completamente apaixonados.
Já devia saber que seria assim, tão puro e tão bom.

1 comment:

  1. Parabéns à Luísa, à mamã e aos manos... já agora também ao pai.

    ReplyDelete