} Avançar para o conteúdo principal

Apresentados

episódio 2 - no corredor

Atravessou o corredor a medo. Era isso ou acordar novamente a irmã. O corredor era tão escuro que lhe parecia impossível a uma criança. As tábuas faziam-se notar a cada passo e ela preferia atravessá-lo em pressa do que se demorar por ali. Deviam ser uns 4 metros que lhe pareciam 12. Respirava fundo e ia de olhos fechados como se isso a protegesse do medo. O medo era de nada. Só do escuro, do desconhecido, do caminho, de não saber o que estava do outro lado.  Mesmo já tendo passado ali com a luz do sol. Quando chegava era bom e era mau porque era obrigatório voltar. Já sabia que nada se passava e que era só um caminho e mesmo assim voava para chegar o mais depressa possível. No dia a seguir era igual. Todos os dias.O mesmo corredor escuro. Todos os dias a luz da manhã a fazer esquecer a noite. As manhãs serviam para lhe descansar a alma e se rir de si mesma. Tinha a certeza que à noite não haveria medos porque estava tudo ali, tudo o que era para existir, tudo o que fazia realmente par

Aprender, fazer e comer

Não é todos os dias que se aprende a fazer bombons e brigadeiros.
Não sou má de todo na cozinha mas doces não é comigo.  Sou das que pede salada de fruta nos restaurantes e no máximo come uma mousse.
Não sei fazer um bolo perfeito e resumem-se a duas tentativas: laranja e chocolate.
Mas há coisas que adoro e dificilmente resisto. Chocolate, gelados, brigadeiros....
Hoje aprendi a temperar chocolate e a fazer bombons com a espantosa Chocolatier venezuelana Fernanda De La Rosa e os melhores brigadeiros do país com a talentosa Carmo Carneiro de Almeida.
Os workshops começam amanhã. Custam 30€ e trazemos para casa o que fazemos o que me parece perfeito se (por acaso nesse dia) derem um jantar em casa.
No final do workshop bebe-se um café, trocam- se dois dedos de conversa e come-se. Coisas doces e boas.
As inscrições são feitas pelo email atelier@pontocondensado.com

Comentários