10/18/2016

Quem é que te mandou ter filhos?

Não vale a pena falar do trabalho que dá ter filhos. Um é dose, dois vamos ao engano a pensar que somos uns experts da coisa, três é a conta que Deus fez e quem cria um ou dois não vai notar diferença.
Mais ou menos.
As rotinas que já estavam todas alinhadas vão à vida e o que um bebé tem de bom tem também de destabilizador.
Mas a parte física aguenta-se, a parte emocional adapta-se. A parte financeira é absolutamente tramada.
Apercebi-me disso agora mesmo.
Chegou o frio e eles cresceram e esta mistura com 3 filhos é explosiva.
Casacos de inverno, sapatos, malhas, calças. Vezes três é um tornado.
Ver tudo do ano passado a rezar para que alguma coisa ainda caiba, correr capelinhas na família e herdar dos primos, contar com ajuda dos avós que caem do céu e oferecem o essencial ou o fundamental.
Vestir 3 filhos foi para mim a grande chapada financeira desde que nasceu a Luísa. As roupas são caras mesmo quando são baratas.
As vacinas são outra.
O eterno dilema dentro e fora do plano,  a pressão para os proteger a todos, a incapacidade de às vezes o fazer e a obrigação de adiar em meses mais difíceis.
A comer eles são piscos mas já não lhes chega dividir um sumo. A fruta desaparece e os iogurtes idem.
Comprar um miminho se é para um é para todos e todos são muitos.... almoçar ou jantar fora é quando o rei faz anos.
A Luísa vai mamar até eu conseguir e ela querer e sei que assim poupo no leite adaptado e que grão a grão enche a galinha o papo mas é uma migalha no orçamento. A creche. As actividades que andamos a adiar mas que a Leonor já precisa nem que seja uma vez por semana. E quando forem três a querer jogar futebol e ballet? E isto são as superficialidades.
Sei que a certa altura as contas se estabilizam e se adaptam mas enquanto são pequenos e crescem de 5 em 5 minutos é uma estalada.
Não passam frio nem fome e é uma bênção tê-los, vê-los crescer e a deixar de caber nas roupas, enfrentar com eles e por eles as adversidades. Mas é duro.
Não lhes há de faltar roupa no corpo, saúde, um tecto e barriga cheia. Com mais ou menos dificuldades eles vão crescer. E vão crescer bem.
Com tudo o que têm,  com tudo o que não têm.

9 comments:

  1. Vive-se com menos, não há mordomias ou spoilness. Faço questão que os meus, ainda que pequenos, percebam um pouco a realidade...a mãe não pode comprar tudo o que pedem ou que querem. Mas quando ha I'm aniversário ou data especial de certeza que lhe dou o que pediram. E todos os dias muita atenção e muito amor!! nos dias de hoje, a pressão exterior é tanta para involver os miúdos em muitas actividades e constante estimulação sensorial. A minha sogra teve 11 e a vida era tão simples nesses tempos. Os miúdos não sabem a diferenca entre roupa cara e barata, eles não querem saber se a comida é orgânica ou do lidl..desde que sejam felizes e saudáveis, é o mais importante no meu ponto de vista. Hoje em dia, encontrei as consignment shops onde vendo roupa que já não serve e fico com crédito para comprar roupas novas ou em segunda mão, brinquedos ou material escolar. Há truques e apreendem-se tanto com outras mães porque passamos todos por momentos mais apertados a nível financeiro. Beijinhos do Canadá��

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ps penso que o lidl tem melhorado imenso desde a sua introdução em Portugal que me lembro tão bem. 😏

      Delete
  2. Por aqui as roupas é o mal menor são 3 rapazes só compro para o mais velho! Além de herdar do irmão os mais novos Ainda recebem dos primos! Agora as vacinas as escolas e a comer q já não são piscos, principalmente a escola é o maior peso no orçamento!

    ReplyDelete
  3. Eu tenho dois filhotes e gostava muito de ir ao terceiro mas por tudo isso que inumerou não é possível. Já é uma ginástica muito grande com dois, e são dois rapazes por isso aproveito muitas coisas de um para o outro,que um terceiro era mesmo impossível. Tenho mesmo muita pena, mas não pode ser mesmo...

    ReplyDelete
  4. Como compreendo este desabafo! Todos os meses se faz alguma ginástica ao orçamento! Abençoados primos e amigos que contribuem com roupa e brinquedos! Também gostava de chegar ao terceiro mas seria mesmo muito complicado, impossível de gerir!

    ReplyDelete
  5. Para ja ainda só tenho uma menina mas em breve quero voltar a engravidar... Toda a roupa da minha filha foi das primas, só compro se tiver falta para ter extra e ter roupa suplentena ama... Como hoje.... Em oeiras há uma loja que vende roupa usada mas que parece nova!!! E brinquedos também.... Com 40 euros comprei dois pares de sapatos e 10 calças/leggings...

    ReplyDelete
  6. Nunca tinha pensado nisso desse ponto de vista! Ser filha única tem muitos benefícios, mas arranjar-lhe um irmão/irmã é uma das minhas prioridades, principalmente por ela... :)

    ReplyDelete
  7. Sem dúvida. Mas tb e importante que eles aprendam a valorizar o q tem. Acima de tudo eles precisam do nosso tempo e do nosso amor e isso o dinheiro não pode comprar

    ReplyDelete
  8. Sem dúvida. Mas tb e importante que eles aprendam a valorizar o q tem. Acima de tudo eles precisam do nosso tempo e do nosso amor e isso o dinheiro não pode comprar

    ReplyDelete