6/06/2017

Os miúdos abusam

Às vezes vou buscá-los à escola e fico uns segundos a olhar para eles no recreio e a brincar. Nunca aconteceu chegar e um deles estar a chorar ou triste ou cansado. Tirando um empurrão ou uma mordidela. Estão sempre felizes a correr corados despenteados felizes.
Às vezes vou buscá-los a casa da minha mãe ou da minha sogra depois de terem lá dormido/estado e eles dormiram lindamente comeram lindamente portaram-se lindamente e fizeram tudo lindamente.
Na rua, ouço os piropos de que os meus filhos são tão bem educados e até tenho algumas amigas que dizem que eles são santos.
Às vezes vou buscá-los à escola e eles vêm felizes e contentes e depois entram no carro.

- Oh mãe! A mãe não trouxe o meu martelo (??) como eu pedi! ou - Onde é que vamos hoje mãe?Podemos ir ao jardim? - Não querida, a mãe hoje tem que ir ao talho. - Que secaaaaaaa!!!!!
Deixam a santidade na escola e nos avós e entram no carro e começam logo a exigir. A sugar devagarinho a paciência como quem não quer a coisa.

A mãe, ainda paciente porque "bolas" estou com eles há 5 minutos" e ainda sente algumas saudades começa desde logo a gerir e a assobiar para o lado, a fingir que não ouviu.
Em casa o caldo entorna-se com os banhos, os que querem, os que não querem, os pijamas, as bolachas antes do jantar porque eu quero, isto e aquilo.

Vai-se gerindo conforme os dias e a paciência e um dia reage-se com toda a calma do mundo e no outro não é bem assim. Respirar fundo porque eles estão cansados ou muito excitados ou porque não chegam a ter um metro de altura...
Vamos andando em paninhos quentes com os meninos e eles às vezes escolhem os dias e forçam até ao limite.
Chega ali a uma altura em que somos os seus fantoches. Contamos a história, damos água, faz chichi, lava os dentes, reza, canta uma música, um beijinho, mais um beijinho, a mãe esteve mais tempo na cama do mano, também quero outro beijinho quero dizer só mais uma coisa.
Como é a recta final damos o tudo por tudo para sermos os melhores pais do mundo, na esperança de comprar o bom comportamento.
- Vá, agora durmam meninos, até amanhã. A mãe adora-os.

Há um alívio imediato quando se deitam tão grande que chega a ser pecaminoso. Nem acreditamos que o dia acabou. Respiramos fundo e na nossa cabeça surge todo um mundo de possibilidades. Descansar ver televisão comer namorar beber um copo de vinho fazer uma limpeza de pele arranjar as unhas arrumar a cozinha preparar roupa para amanhã estender uma máquina... As possibilidades são imensas.

Mas a verdade é que os miúdos abusam.
Têm calor, querem água, fazer (mais) chichi ou cocó, medo, não têm sono, têm coisas, muitas coisas. Os miúdos saem da cama.
E isto devia ser proíbido. Devia estar na lei que as crianças que, depois dos pais terem feito o maior esforço do universo para serem compreensivos com manias e esquisitices e exigências a que cumprimos de sorriso na cara, não podiam sair da cama. Diziam boa noite e adormeciam com aquela cara de santos com que fazemos as pazes e recuperamos o amor que um pai sente por um filho.
Mas eles não querem saber, pobres e mal agradecidos saem da cama com uma coragem que admiro.
Para dar só mais uma palavrinha ou ir buscar uma coisa mesmo importante ou dizer o que não pode mesmo esperar por amanhã. Desafiando a paciência e o estado de loucura e exaustão eminente dos pais.

Quando eles adormecem somos incapazes de sentir ressentimento.
Os filhos têm essa capacidade. Com eles nunca nos deitamos chateados.

1 comment:

  1. Como eu me revejo neste texto. Os meus, principalmente o de 8 anos é assim. Mal chego a escola para eu o ir buscar começa logo:
    - tenho fome / tenho sede. Com a lancheira com água e comida :(
    - onde vamos hoje?
    - o x pode ir lá a casa jantar?
    - podemos ir andar de bicicleta?
    - quero isto, quero aquilo, quero tudo mas não quero nada.

    No outro dia disse-lhe que assim que chego ele não me cumprimenta e começa logo com as exigências. Agora mudou o comportamento. Assim que me vê pegunta:
    - "Mãe estás boa? Como foi o teu dia?" e sem sequer me deixar responder começa logo no rol de perguntas/exigências habituais...

    Acho que é fruta da época!!!

    ReplyDelete