Os livros cá de casa #2

As histórias cá em casa marcam o momento de ida para a cama. Às vezes podem escolher ver um bocadinho mais de televisão mas na maioria das vezes escolhem uma história.
Confesso que muitas vezes não me apetece e preferia deita-los, apagar a luz, beijinho e já está. Mas a história (às vezes sem livro) marca não só um momento em que acalmam mas também os deixa a pensar no que ouviram, a imaginar, a sonhar.
Continua a lista dos nossos preferidos, que gostávamos de ler e que nos marcaram, de uma maneira ou de outra. Ainda há muita coisa para ler, para explorar e também para reler. Livros da minha infância e até escritos pelos meus avós e que não tarda têm idade para ouvir.


Este livro de 2006 ganhou mais prémios que eu sei lá e percebe-se porquê. Comprei-o nos Correios da Baixa enquanto esperava a minha vez - nunca mais me esqueço - e escrevi nele uma dedicatória para o meu marido que na altura era pai de só uma filha. O tempo passou e os filhos aumentaram e o livro é bonito e intemporal e eles adoram, principalmente se for o pai a contar.
Fala sobre tudo aquilo que um pai é e da cumplicidade entre um pai e um filho.
Editora: Planeta Tangerina 

Esta série da autoria de Eric Hill é intemporal, a primeira edição é de 1976 e os livros têm sido reeditados desde então. São histórias simples à volta de um pequenino cão com abas de levanta e esconde (sei lá eu o nome técnico) e que os miúdos adoram levantar, adivinhar e explorar. É até aos 6 anos embora ache que a idade ideal seja entre o 1 e os 3. Se os vossos forem como a minha filha Luísa as abas não duram muito e resistem à custa de muita fita cola. 
Em Portugal, a edição é da Editorial Presença 
O que eu gosto deste livro e de toda esta coleção do pombo. 
O autor é antigo argumentista da Rua Sésamo e por isso percebe-se que imaginação e talento não lhe faltem. 
Neste livro o pombo não acha importante tomar banho, acha que está limpo e que o banho é completamente desnecessário mas sozinho, sem diálogo com nada para além dele mesmo, acaba por se convencer do contrário e é basicamente hilariante e cheio de ritmo. Quero muito fazer a coleção completa deste pombo. Quando era pequenina, o nosso pai contava-nos histórias de um pombo inventado por ele que vivia no Bairro Alto. Este pombo trás-me óptimas memórias. 
Editado pela Booksmile.

Este é para ler em voz alta. Para todos ouvirem. Fica no ouvido à segunda leitura e se ainda não leram vão ver que os miúdos o decoram em menos de nada. Adoro as ilustrações meio toscas, os olhares dos animais e a musicalidade deste livro. A autora -Clara Cunha - é portuguesa de gema e esta história é brilhante. Depois deste veio o Cuquedo um amor que mete medo mas confesso que para mim não há amor como o primeiro. 

Às vezes não é muito fácil entender o que as crianças. Eles não sabem o que sentem muitas vezes, não conseguem sempre explicar e para nós pais (e professores) é uma boa ferramenta para entrar um bocadinho no mundo das emoções sem invadir muito o seu coração. É um livro tranquilo apesar deste monstro e cheio de cor. É bom de se contar muitas vezes e de ter à mão nas emergências emocionais.  É recente cá em casa mas já o leram várias vezes na escola e por isso, aconselho. 

Pediram-me sugestões de livros para adolescentes mas estou com um problema. Já não me lembro bem do que li para além daqueles clássicos - alguns duvidosos - e ainda não tenho filhos adolescentes, por isso se tiverem sugestões escrevam aqui nos comentários ou enviem para contacto.amaejavai@gmail.com

Podem ver Os livros cá de casa #1 aqui.


www.instagram.com/amaejavai www.facebook.com/amaejavai

Comentários