Quando é que o nosso corpo volta a ser nosso? [métodos contraceptivos depois de ter filhos]

Se há lugar bom para as hormonas poderem experimentar tudo e mais alguma coisa é no corpo de uma mulher. São parte fundamental do equilíbrio do nosso organismo, e às vezes as responsáveis por andar tudo de pernas para o ar. São elas que estimulam alguns dos nossos orgãos mas também são elas que os inibem. São elas as donas do barraco basicamente. Quem manda em nós, o nosso patrão. No nosso sistema nervoso, na sexualidade, no humor, no sono, na temperatura do nosso corpo, e também no nosso feitio. Não é precisa nenhuma ciência que o comprove, basta o nosso sentido de humor de vez em quando. Estrogénio lá para os 10, progesterona na puberdade, testosterona (é deles mas nós também tivemos direito a um bocadinho e graças a Deus porque é responsável pela força muscular, a excitação e outras coisas que também merecemos). A oxitocina responsável por tantas coisas importantes na gravidez, parto e pós parto e que vai diminuindo ao logo da vida mas no entanto é uma das hormonas que nos ajuda a lidar com situações de stress.
Não sou médica e muito menos entendida em questões hormonais, nem sequer tenho conhecimentos para falar sobre isto, mas sou mulher.
Não é sobre feminismo este texto porque não tenho muita paciência para essas coisas, para mim é uma não questão, mas de facto há perguntas que tenho e algum sentimento de injustiça em relação ao nosso corpo. Quando é que ele passa a ser realmente nosso, livre?
Se desde cedo houver alguma consciência da necessidade de evitar doenças sexualmente transmissíveis e gravidezes não planeadas, as raparigas começam a tomar a pílula por cima de um corpo que já é hormonalmente contemplado todos os meses. Depois deixam de a tomar, engravidam e as hormonas gritam de alegria, estão histéricas e bipolares. A amamentação que já de si é um mar de nervos ao início. A pílula da amamentação. E ou nada ou novamente outra pílula qualquer. Depois deixamos outra vez para um segundo filho e no meu caso não voltei a tomar porque queria aumentar, ainda mais a família.
Mas e quando decidimos não ter mais filhos e dar finalmente descanso ao nosso corpo que verdade seja dita não teve a vida muito facilitada. Gravidezes, partos, pós partos e um festival de hormonas durante anos.
Que opções temos?
Rezar não é uma opção. Sabemos que fazer contas, medir a temperatura e usar aplicações já trouxe muitas crianças ao mundo.
Andei a pesquisar online sobre as alternativas.
Anel. Hormonas. Temos que o usar durante 3 semanas e dar descanso ao corpo uma, sendo que essa semana de descanso é bastante relativa, mas vá.
Injectáveis. Hormonas. As hormonas permanecem no músculo e vão sendo libertadas à medida que esse tecido é irrigado pelo sangue. Não me parece muito simpático. As injecções são no braço ou nas nádegas e pode causar irregularidade no ciclo e inchaço.
Adesivo. Hormonas.
Implante. Hormonas.
Diu de Cobre. Não tem hormonas e basicamente imobiliza os espermatozóides e impede-os de ultrapassar essa barreira de cobre. Pode permanecer 5 ou 10 anos e tem que ser implantado por um profissional de saúde. Tem vantagens e desvantagens, claro. As grandes vantagens são ser um dos métodos mais seguros, a fertilidade voltar aos níveis anteriores logo depois de retirar o dispositivo e poder-se tirar quando se quiser. As grandes desvantagens pelo que percebi é a possibilidade do corpo não se adaptar, dores, fluxos intensos, dores de cabeça, cólicas, uma alegria.
Diu hormonal. Como o nome indica, hormonas.
Preservativo feminino. Não sei o que dizer sobre isto.
Diafragma. É um método barreira como o preservativo. Parece-me uma trabalheira.
Laqueação das trompas e vasectomia. São processos que requerem anestesia geral e local no caso do homem, 2 dias de internamento  no caso da mulher e duas semanas de recuperação. Ambos os métodos são reversíveis mas a meu ver, complicados no caso de voltar a querer engravidar.
Posto isto, há métodos que nunca mais acabam e a culpa não é dos médicos investigadores que ainda não descobriram a pólvora mas passamos a vida a levar com hormonas ou estamos presos a métodos que não são nem espontâneos nem 100% eficazes. Se é que me faço entender.
O ideal seria não ser preciso nada. Mas ou temos a certeza do que queremos para a nossa vida ou não nos podemos queixar que "aconteceu". Não há como "acontecer" quando já se sabe tanto sobre cada um dos métodos.
Os métodos disponíveis são vários (muito mais para as mulheres do que para os homens) mas nenhum me parece perfeito e todos parecem continuar a massacrar o corpo da mulher com hormonas e intervenções. O corpo a certa altura merece descanso. Algum descanso.
Que métodos usam e que vantagens e desvantagens encontraram?

Comentários

  1. Implante. Tem a vantagem de só ter progesterona, ao contrário das pílulas combinadas e do DIU hormonal (as outras opções que o centro de saúde me ofereceu). Pareceu-me, de todas as opções, a melhor para mim. Primeiro porque ja tomava uma pílula hormonalmente idêntica ao implanom, depois porque o facto de o DIU ser um objecto estranho dentro do útero, conhecer vários casos de dores e pela minha irmã ter engravidado com o DIU e ter sido obrigada a abortar (não se pode seguir com a gravidez, o DIU tem de ser retirado e nunca mais pode voltar a pôr) achei que não era a solução para mim. A pílula não dava para mim, há 15 anos que luto contra o esquecimento recorrente. Também tentei o anel mas estava constantemente com candidiases. Se o implante vale a pena? Tirou-me um peso de cima... pelos próximos 3 anos. Até agora não noto nada relativamente ao peso, que é uma das maiores queixas. Na minha opinião, não dói a colocar mas nos dias seguintes doeram-me um pouco os pontos. ��

    ResponderEliminar
  2. A mim, infelizmente, a natureza ajudou.... Menopausa precoce aos 39. Irreversível de um dia para o outro. Tem sempre o lado bom de não me preocupar mais com gravidezes.... Mas eu até queria ir ao terceiro...lados negativos tem muitos. Fazer terapia de substituição hormonal: ter medo de a fazer e de não a fazer - decidi fazer. Nunca tive sintomas mas o receio é a osteoporose.
    Por isso Escolham o melhor método para cada uma,já que têm muitas alternativas ❤️be happy. Eu sou !!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário