} Avançar para o conteúdo principal

Apresentados

episódio 2 - no corredor

Atravessou o corredor a medo. Era isso ou acordar novamente a irmã. O corredor era tão escuro que lhe parecia impossível a uma criança. As tábuas faziam-se notar a cada passo e ela preferia atravessá-lo em pressa do que se demorar por ali. Deviam ser uns 4 metros que lhe pareciam 12. Respirava fundo e ia de olhos fechados como se isso a protegesse do medo. O medo era de nada. Só do escuro, do desconhecido, do caminho, de não saber o que estava do outro lado.  Mesmo já tendo passado ali com a luz do sol. Quando chegava era bom e era mau porque era obrigatório voltar. Já sabia que nada se passava e que era só um caminho e mesmo assim voava para chegar o mais depressa possível. No dia a seguir era igual. Todos os dias.O mesmo corredor escuro. Todos os dias a luz da manhã a fazer esquecer a noite. As manhãs serviam para lhe descansar a alma e se rir de si mesma. Tinha a certeza que à noite não haveria medos porque estava tudo ali, tudo o que era para existir, tudo o que fazia realmente par

Enquanto a Luísa não chega.

Fomos só ali matar um desejo antes do nascimento da Luísa.
Caracóis e panaché fingido com cerveja sem álcool e mais umas coisas boas que foram no entretanto.
Muito calor, pouco tempo, conversas rápidas mas boas.
E depois antes de cada uma ir às suas vidas, umas fotografias como se nada fosse.
- Podias ter dito que tinha vindo mais gira e mais maquilhada!
Indiferente.... Mostrar a barriga para a posteridade e para guardar para sempre na memória.
Sem grandes coisas, como somos as duas, uns cliques e já está.
Eu, sem tirar nem pôr e a Luísa, quase quase, ao meu colo.
Obrigada mana.





Comentários

  1. O texto é maravilhoso, as fotos maravilhosas estão, a Maria Ana está linda, maquilhagem é esse sorriso e brilho de tanto amor .
    Beijo enorme
    Carolina Melo

    ResponderEliminar

Publicar um comentário