} Avançar para o conteúdo principal

Apresentados

episódio 2 - no corredor

Atravessou o corredor a medo. Era isso ou acordar novamente a irmã. O corredor era tão escuro que lhe parecia impossível a uma criança. As tábuas faziam-se notar a cada passo e ela preferia atravessá-lo em pressa do que se demorar por ali. Deviam ser uns 4 metros que lhe pareciam 12. Respirava fundo e ia de olhos fechados como se isso a protegesse do medo. O medo era de nada. Só do escuro, do desconhecido, do caminho, de não saber o que estava do outro lado.  Mesmo já tendo passado ali com a luz do sol. Quando chegava era bom e era mau porque era obrigatório voltar. Já sabia que nada se passava e que era só um caminho e mesmo assim voava para chegar o mais depressa possível. No dia a seguir era igual. Todos os dias.O mesmo corredor escuro. Todos os dias a luz da manhã a fazer esquecer a noite. As manhãs serviam para lhe descansar a alma e se rir de si mesma. Tinha a certeza que à noite não haveria medos porque estava tudo ali, tudo o que era para existir, tudo o que fazia realmente par

Os pés deles crescem em 5 minutos

Os sapatos comprados para "durar" para o inverno começam a não caber.
A Leonor já aumentou dois números desde Setembro e a sorte do Zé Maria é ter sapatos herdados de primos.
A Luísa, em contrapartida tem dois pares de sapatos que ainda lhe estão enormes e por isso quando começar o calor e a andar penso no assunto.
Os saldos já foram e sabe bem quando conseguimos comprar mais por menos fora de horas, quer seja roupa, quer sejam sapatos. E por isso é de aproveitar esta promoção da Pisamonas. Compra 3 e paga só 2, se comprar 6 só paga 4 e assim sucessivamente. Não precisa de ser sapatos, pode ser sapatos, collants, etc.
Demorei horas a escolher porque queria sapatos de meia estação e que dessem para o dia a dia. Os do Zé Maria - uns Blucher de camurça com atacadores, já a pensar nos anos dele em Março. Ele adora botas mas não acho muito confortável para usar todos os dias principalmente quando está um inverno cheio de sol como este.
Para a Leonor escolhi uns sapatos também Blucher que são a cara dela. Queria uns que ficassem giros com roupas mais arranjadinhas mas que desse para usar no dia a dia. Muitas vezes ela quer pôr sapatos "de festa" com calças de ganga ou roupa completamente descontraída e estes ficam de facto bem.
Para a Luísa e porque ela não precisa de sapatos no imediato e achei que seria desperdício, escolhi este bolero - não tem nenhum cor de rosa - e dá mesmo muito jeito! Com este conjunto que escolhi o bolero saiu completamente grátis. E os portes continuam a ser grátis, que também é importante.
Por curiosidade, a Leonor tem 5 anos e calça 27 e o Zé Maria faz 3 em Março e calça 25 que era o que ela calçava em Setembro. Ele está a crescer mesmo muito rápido e apesar de sempre ter sido alto e ser rapaz e por isso não ser comparável é assustador como se está a tornar num rapazinho e a deixar de ser bebé. Vai amar os seus sapatos novos. Como ele diz: à homem.


Post escrito em parceria publicitária com a Pisamonas

Comentários