} Avançar para o conteúdo principal

Apresentados

episódio 2 - no corredor

Atravessou o corredor a medo. Era isso ou acordar novamente a irmã. O corredor era tão escuro que lhe parecia impossível a uma criança. As tábuas faziam-se notar a cada passo e ela preferia atravessá-lo em pressa do que se demorar por ali. Deviam ser uns 4 metros que lhe pareciam 12. Respirava fundo e ia de olhos fechados como se isso a protegesse do medo. O medo era de nada. Só do escuro, do desconhecido, do caminho, de não saber o que estava do outro lado.  Mesmo já tendo passado ali com a luz do sol. Quando chegava era bom e era mau porque era obrigatório voltar. Já sabia que nada se passava e que era só um caminho e mesmo assim voava para chegar o mais depressa possível. No dia a seguir era igual. Todos os dias.O mesmo corredor escuro. Todos os dias a luz da manhã a fazer esquecer a noite. As manhãs serviam para lhe descansar a alma e se rir de si mesma. Tinha a certeza que à noite não haveria medos porque estava tudo ali, tudo o que era para existir, tudo o que fazia realmente par

Carta à mãe da minha filha Leonor

Tu não sabes mas um dia vais ser mãe de três.
Também não sabes mas ter um filho dá mais trabalho do que ter três.
É mais duro. É mais exigente. É mais solitário. Arriscas com o que tens e não tens exemplos para seguir. É só instinto mas também é tapar os ouvidos ao instinto e fazer como te dizem porque até faz sentido tudo isso.
Faz sentido seguir os timings das coisas e dos pediatras - porque quem és tu para saber mais que eles - e dos grupos e dos amigos e daqueles que já têm filhos.
Tu não sabes mas algumas vezes falhaste simplesmente porque decidiste não seguir esse instinto e vais ver isso com o teu segundo filho e vais ver ainda melhor com o terceiro. 
Vais ver que houve momentos da tua vida com a Leonor, quando ela chorava e quando ela não dormia que o teu colo chegava, que ela não ia ficar mais mimada por isso e que apesar de tudo cresceu, está a crescer,  cheia de confiança e vida. E cheia de colo.
Não sabes isto mas ela tinha todas as respostas. E mais algumas. 
Umas vezes escolheste não ouvir, outras tiveste medo e outras não fazias a mais pequena ideia do que se passava. 
Vais aprender a relativizar. Vais aprender a deixar as coisas seguir os seus rumos. Vais tornar-te (muito) mais prática. Vais achar que arroz com atum chega nos dias de stress e não vais querer saber se um dia não tomam banho. 
Vais ser mais solidária também. Contigo e com as outras mães. Vais compreender os pontos de vista e mesmo que não compreendas vais fazer um esforço muito maior para não apontar o dedo. Vais perceber a diferença. Vais perceber o medo. Vais perceber o desnorte. 
Vais pôr-te mais vezes no papel do outro mesmo que não concordes e entender que faz tudo parte de um crescimento. Agora sabes isso. 
Vais-te rir de como eras e ter pena, de às vezes ter sido assim. Mas vais perceber-te melhor. E desculpar o que não precisa de desculpa.  
Tu não sabes mas ter apenas um filho é muito duro. 
Ter três é apenas mais cansativo. 




Comentários

  1. ♥ Era esta carta que eu queria ter lido quando tive a 1ª filha...
    E agora, também mãe de 3, confirmo... Não é mais difícil ser mãe de 3... Sinto exatamente como descreves "Tu não sabes mas ter apenas um filho é muito duro.
    Ter três é apenas mais cansativo".
    Beijinhos!

    ResponderEliminar

Publicar um comentário